THE CONCILIUM LEGIONIS MARIAE

  1. There shall be a central council, which shall be called the Concilium Legionis Mariae, in which shall be vested the supreme governing authority of the Legion. To it alone (subject always to the rights of the Ecclesiastical Authority as provided for in these pages) shall belong the right to make, alter, or interpret rules; to set up or repudiate praesidia and subordinate councils, wherever situated; to determine the policy of the Legion on all points, to decide all disputes and appeals, all membership questions, and all points as to the suitability of works or the manner of carrying them out.
  2. The Concilium Legionis Mariae meets monthly in Dublin, Ireland.
  3. The Concilium may delegate portion of its functions to its subordinate councils or to individual praesidia, and may at any time alter the amount of such delegation.
  4. The Concilium may combine with its own proper functions the functions of a subordinate council or councils.
  5. The Concilium Legionis Mariae shall consist of the officers of every legionary body which is directly affiliated to the Concilium. The officers of the senior Curiae of the Archdiocese of Dublin form the core attendance at the meetings of the Concilium. Due to distance, etc. regular attendance on the part of the great majority of other legionary bodies is not possible. The Concilium reserves the right to vary the representation from the Dublin Curiae.
  6. The Spiritual Director of the Concilium shall be appointed by the Hierarchy of Ireland.
  7. The elections of officers of directly affiliated councils are subject to ratification by the Concilium.
  8. The Concilium appoints correspondents to fulfil its functions of superintendence of its distant councils. The correspondent keeps in regular contact with the council and from minutes received monthly prepares a report for presentation to the Concilium meeting when required. He attends the meetings of the Concilium and takes part in the proceedings but, unless he is a member of the Concilium, he has not the right to vote.
  9. The duly authorised representatives of the Concilium may enter into any legionary area, visit the legionary bodies there, carry on work of a promotional character and generally exercise functions which it is allowable for the Concilium to exercise.
  10. To the Concilium Legionis Mariae alone shall belong, subject to the Constitution and rules of the Legion, the right to amend the handbook.
  11. Changes of Rule cannot be effected save with the agreement of the great bulk of the legionary bodies. These, through their appropriate councils, shall be notified of any proposed change of rule, and given sufficient time to signify their views on the subject. The views may be signified through their representatives actually present at the Concilium meeting or by writing.

"Thus God's power, indeed is infinite but it is still subordinate to his wisdom and his justice; his justice, again, is infinite, but it, too, is subordinate to his love; and his love, in turn, is infinite, but it is subordinate to his incommunicable sanctity. There is an understanding between attribute and attribute, so that one does not interfere with the other, for each is supreme in its own sphere; and thus an infinitude of infinities, acting each in its own order, are combined together in the infinitely simple unity of God." (Cardinal Newman: Order, the Witness and Instrument of Unity)

 

Portuguese:

CONCILIUM LEGIONIS MARIAE

 

             1.Haverá um Coselho Central chamado "Concilium Legionis Mariae", revestido da suprema autoridade administrativa da Legião. Salvos sempre os direitos da autoridade eclesiástica, como estão expostos nestas páginas, só a este Conselho pertence o direito de criar novos regulamentos, alterar ou interpretar os estabelecidos; fundar ou suprimir quaisquer Presidium e Conselhos subordinados, no mundo inteiro; determinar o modo de agir em todas as situações; decidir todas as disputas e apelações, todas as questões de filiação legionária e tudo o que se refere à oportunidade de empreendimento ou maneiras de os realizar. 

             2. O "Concilium Legionis Mariae" se reúne mensalmente, em Dublim, na Irlanda.

             3. O Concilium pode transferir parte das suas funções a Conselhos subordinados ou a Praesidia individuais e modificar, a qualquer momento, o conjunto desta delegação.

             4. O Concilium pode unir às suas funções, as funções de um ou mais Conselhos subordinados.

             5. O "Concilium Legionis Mariae" será constuído pelos Oficiais de todos os corpos legionários a ele diretamente filiados. O Oficiais das Curiae de adultos da Arquidiocese de Dublim formam o núcleo da participação nas reuniões do Concilium. Dada a distância, a presença regular da maioria dos outros grupos legionários não é possível. O Concilium reserva-se o direito de variar as representações das Curias de Dublim.

             6. O Diretor Espiritual do Concilium será nomeado pela Hierarquia Eclesiástica da Irlanda.

             7. As eleições dos Oficiais dos Conselhos diretamente filiados ao Concilium estão sujeitos à sua aprovação pelo mesmo Concilium.

             8. O Concilium nomeia correspondentes para exercer as funções de administração dos Conselhos distantes, de que tem a responsabilidade. O correspondente mantém contato regular com o respectivo Conselho e, a partir das atas recebidas mensalmente, prepara um relatório, a apresentar ao Concilium, quando lhe for pedido. Participa das reuniões e dos debates, mas não tem direito a voto, a não ser que seja membro de direito do Concilium.

             9. Os representantes do Concilium, devidamente autorizados, podem entrar em qualquer área da Legião, visitar os grupos e Conselhos, exercer atividades de caráter promocional e, em geral, quaisquer funções que só ao Concilium competem.

             10. Só ao Concilium Legionis Mariae compete, de acordo com os Estatutos e regras da Legião, o direito de reformar o Manual.

             11. A mudança de Estatutos não pode ser feita, sem a concordância da maior parte dos corpos legionários. Estes devem ser notificados através dos respectivos Conselhos, de qualquer mudança em vista. Precisam de tempo suficiente para manifestarem os seus pareceres a respeito do assunto. Estes pareceres podem ser comunicados pelos representantes presentes na reunião do Concilium ou através de comunicação escrita.

             "O Poder de Deus é certamente infinito, mas está, todavia, subordinado à Sua Sabedoria e Justiça, a Sua Justiça é também infinita, mas está subordinada ao Seu Amor, infinito é o Seu Amor, mas sujeito à Sua Santidade. Harmonizam-se de tal maneira as qualidades que, entre eles, nenhum choque é possível, pois cada um é o maior na sua própria esfera. Deste modo uma infinidade de infinitos, atuando cada um segundo o seu modo de ser, juntam-se na unidade infinitamente simples de Deus" (Cardeal Newman: A Ordem, Testemunha e Instrumento de Unidade).